Meu rio logoVerão do Saneamento
Vds
77
dias de ação
75
aparições na mídia nacional e internacional
Veja como, na estação mais quente do ano, 1200 cariocas pautaram o cocô.

Mais um verão da cidade maravilhosa começou marcado por capas de jornais e redes sociais inundados com as notícias de sempre: Falta de água em todos os bairros da cidade, tubulações de esgoto abrindo crateras gigantes debaixo dos nossos pés, cariocas mergulhando em praias e lagoas contaminadas com o próprio esgoto e até chuveirinhos da praia dando banho de xixi.

Saneamento básico é um problema grave do Rio. Mais da metade dos cariocas sequer tem esgoto coletado ou tratado na sua casa. Havíamos entrado nessa missão em 2012, mas foi na estação do ano onde o carioca está mais em contato com a água (e com o esgoto) que conseguimos pautar o assunto de verdade.

Durante 12 semanas, centenas de voluntários se inscreveram para organizar e participar de ações por toda a cidade. Foram mais de 70 aparições na mídia nacional e internacional e a certeza de que o nosso barulho não foi em vão: com a pressão gerada pela quantidade de vezes que o assunto foi pautado, o presidente da Cedae, Wagner Victer, se sentiu obrigado a se comprometer publicamente com a regulação da empresa, e deu o prazo para até agosto de 2015.

Agosto de 2015 chegou e graças a pressão de milhares de cariocas a Cedae finalmente perdeu alguns dos seus superpoderes e passou a ser regulada! Sabemos que esse é só um primeiro passo na luta por 100% de saneamento para o Rio, mas já é uma grande vitória.

Role a página para ver a história completa do Verão do Saneamento e clique abaixo para apoiar a equipe do Meu Rio a continuar encontrando oportunidades de mobilização na cidade!

Clique e apoie!

O Mareato e a primeira onda contra a CEDAE.

Foi no dia 8 de setembro de 2013 que a ideia de fazer uma manifestação nas areias de Copacabana por 100% de saneamento no Rio virou realidade. Em parceria com os surfistas mobilizados do Salvemos São Conrado, a equipe do Meu Rio aproveitou que estava rolando a final do campeonato internacional de bodyboard e foi dar um tchibum nas águas (impróprias para banho) com uma faixa de 10 metros.

Foto 01

A ação, que já era midiática por si só, contou com uma "fotoprivada" e fez dezenas de curiosos que passavam pela orla sentarem na latrina para tirar uma foto e mandar um recado para o governador.

Sucesso de cara. No mesmo dia, a foto que já tinha corrido as redes sociais, estava estampada na versão online do jornal O Globo com uma galeria de fotos da ação.

Foto 02

É sobre as areias quentes de Copacabana que nasce então o #VerãoDoSaneamento. Sabíamos que a Cedae iria mais uma vez nos proporcionar um verão sem água e com muito esgoto.

Se até hoje a Cedae não apresentou nenhum cronograma de metas para a implementação de Saneamento Básico (que é básico!), como o verão poderia ser diferente? Não deu outra.

O horário de verão começou a valer no dia 19 de outubro, e foi logo quando uma falta crítica de água na cidade virou o assunto da vez.

Foto 03

A guerra estava declarada. Era hora de chamar a galera e começar a esquentar para o verão. Na estação em que o carioca está mais em contato com as águas da cidade, tinha chegado o momento de agir.

VERDADES, INDIRETAS E CHAMANDO REFORÇO

Espalhados pela cidade, dezenas de voluntários se reuniam com a equipe do Meu Rio para organizar as ações que tomariam a cidade durante o verão.

240 pessoas se inscreveram para fazer parte da fase de planejamento e ajudar a organizar as ações, e mais de 1200 pediram para serem avisadas por SMS quando as ações fossem acontecer.

Foto 05

Dali pra frente seriam 12 semanas, para chamar a atenção do maior número de pessoas possível sobre a falta de saneamento no Rio.

Para entender a afinidade que os fãs do Meu Rio no Facebook tinham com o tema, começamos a compartilhar com a nossa rede algumas verdades sobre a Cedae e as indiretas do Verão do Saneamento.

Foto 06

Com os grupos formados, o verão estava no ar e as primeiras ações do #VerãoDoSaneamento também. Lançamos a página que reunia o mapa das ações, o formulário de inscrição para receber informações sobre a agenda e uma lista com as demandas de cada ação.

Experimente navegar pelo mapa e clicar nas ações para saber o que aconteceu em cada uma.

Veja abaixo o resumo ilustrado das ações que pautaram o verão ou saiba como agir agora por cada demanda.

Mobilizadores ao mar

Velejadores, nadadores e banhistas por 100% de saneamento

A primeira ação aconteceu no dia 7 de dezembro. E começou grande: dezenas de atletas olímpicos que participavam do campeonato intergaláctico de vela demonstraram a sua revolta com a qualidade das águas do Rio vestindo a camisa do Verão do Saneamento para velejar. Em 2016, serão obrigados a disputar os jogos nas águas poluídas.

"Eu velejo no mundo todo há vinte anos. Esse é o lugar mais poluído que já vi"
Allan Norregaard, medalhista olímpico de 2012 para um jornal americano durante a ação.

Foto 07

Em terra firme, atletas mirins, representando o futuro do esporte e do planeta também se somaram à mobilização. As crianças do Optimist se interessaram pelo assunto e sacaram seus smartphones para começar a participar da mobilização online.

Foto 08

A energia dos esportistas foi organizada por voluntários incríveis e o resultado estava na capa de grandes jornais nacionais e internacionais no dia seguinte.

Semanas antes, em resposta a uma reportagem do New York Times, o presidente da Confederação Brasileira de Vela disse que a situação da Baía de Guanabara era normal e que os atletas não deveriam ficar reclamando.

"Volta e meia, viro meu barco e engulo a água, e estou muito saudável, até um pouco gordinho."
Marco Aurélio Sá, Presidente da CBVela

Empolgados com a ação dos atletas, os mesmos voluntários agitaram no dia 14 mais uma ação esportiva.

Dessa vez os mobilizados foram os nadadores do Rei Rainha do mar, na praia de Copacabana.

Foto 09
Foto 10

No campeonato, que tem uma grande cobertura da grande mídia, atletas saíram da água levando o seu protesto e deixando o recado para o governo do estado, patrocinador do evento.

Do outro lado da poça, em Niterói, os voluntários e a equipe do Meu Rio deram a resposta que o presidente da confederação de vela precisava.

Dias antes da competição, Martine Grael, promessa das olimpíadas, encontrou uma televisão boiando enquanto treinava.

Sup tv

"Eles (os atletas) precisam estar preparados para lidar com as adversidades do meio ambiente"
Marco Aurélio Sá, presidente da Confederação Brasileira de Vela, de novo.

A ação do Verão do Saneamento foi uma boa oportunidade para Martine manifestar o seu apoio à defesa de águas despoluídas no Rio de Janeiro.

Foto 11

Martine e sua dupla, Kahena Kunze vestiram a camisa com outros atletas brasileiros e estrangeiros que disseram não estarem satisfeitos com a falta de esforço do governo para fazer da despoluição e do saneamento um legado olímpico.

Privadas, bactérias e a maior repercussão do verão

Foto 12

A cobertura das ações na mídia já vinha sendo boa, mas foi no dia 25/01 que chegamos mais longe.

Com seus talentos e criatividade, os voluntários fizeram com que o invisível problema da falta do saneamento, fosse visto por todos a olho nu. Desenhos gigantes das bactérias que vivem no esgoto foram feitos nas areias de Ipanema enquanto um mapa com os pontos de despejo de esgoto in natura no mar era apresentado e cariocas sentavam em privadas na praia.

A manifestação correu o mundo em mais de 20 grandes sites e blogs de notícia.

Foto 13

O "Bacteriato", como foi apelidada a ação, foi pauta do RJTV do mesmo dia e a pressão foi tanta que obrigamos o presidente da Cedae, Wagner Victer a dar uma entrevista sobre a tão esperada regulação da empresa, uma das demandas da mobilização por 100% de saneamento.

"A Cedae será regulada em agosto de 2015"

Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro sobre a empresa presidida por Wagner Victer, que hoje tem o poder de aumentar os preços das tarifas sem mostrar nenhuma melhoria ou qualidade do serviço.

Foto 15

Nas semanas seguintes o Verão do Saneamento saiu do eixo zona sul e centro e foi parar no canal da Joatinga, na Barra. Representando a causa do projeto de recuperação das lagoas e canais da Barra e do Recreio, um grupo de músicos sentou em privadas para tocar um bom chorinho chamando a atenção de quem passava pela avenida das Américas.

Com bom humor e boa música, o deck da Joatinga foi ocupado pelas faixas e se encheu de cariocas apoiadores da demanda.

Uma passeata de barcos

Pela despoluição da Baía de Guanabara, mais de 80 embarcações ocuparam as águas.

Depois de 2 meses de organização, uma passeata de barcos tomou a Baia de Guanabara no domingo do dia 16! Mais de 100 embarcações de luto pela Baía participaram da revoada, uma ação organizada em parceria com os clubes de vela do Rio e outras organizações ligadas ao tema como o Instituto Trata Brasil.

Foto 16

De caiaques a veleiros de 40 pés, estavam presentes grandes campeões olímpicos como os irmãos Grael, e a ação chamou a atenção do novo secretário de meio ambiente, Índio da Costa, que logo pediu para que fosse marcada uma reunião com os navegantes.

Do mar, ao morro. Verão fechou com ação na Rocinha

Foto 17

Representando a falta de estrutura de saneamento básico que coloca em risco a saúde de milhares de cariocas de todas as favelas do Rio, a Rocinha se organizou para chamar a atenção para o absurdo que ameaça os moradores: A maior quantia do dinheiro do PAC 2 destinado a comunidade será investido em um teleférico, quando a prioridade dos moradores é o Saneamento Básico.

O medo do elefante branco já era uma mobilização do Rocinha Sem Fronteiras na Rede Meu Rio antes da ação. Mais de 1300 emails já foram enviados ao Governo do Estado através deste Panela de Pressão, pedindo a mudança nos investimentos.

Depois de meses de reuniões e organização com a comunidade, os moradores e voluntários do Verão do Saneamento colocaram a ação na rua. Além dos tradicionais cartazes, as faixas gigantes foram penduradas na passarela que fica na entrada da favela e uma instalação com uma privada e uma caveira destacou o longo tempo de espera dos moradores por saneamento no local.

Foto 18

A ação foi organizada em parceria com o Rocinha Sem Fronteiras, Associação de Moradores do Laboriaux e Vila Cruzado, Salvemos São Conrado e SOS Rocinha, mas o governo estava tão incomodado que enviou uma turma de militantes uniformizados e equipados para tentar frustrar a ação com ataques pessoais e ameaças (veja o vídeo).

O único argumento que os “amarelinhos”, como já são conhecidos na comunidade, levaram era de que o teleférico era também prioridade para os moradores. Claramente uma estratégia do governo de tirar a importância fundamental que o saneamento tem sobre o teleférico. É por isso que os moradores estão pressionando o Governo nesse momento para que o dinheiro do PAC 2 seja investido no que realmente importa!

E agora que o verão acabou?

Foto 20

Com o fim do Verão do Saneamento e com a regulação da Cedae acontecendo depois de muita pressão, vamos continuar de olho em oportunidades de ação relevantes sobre o saneamento do Rio.

Para isso precisamos do seu apoio! Clique abaixo e saiba como você pode fazer o Meu Rio continuar acontecendo!

Apoie!

O poder da rede

A realização das ações e a enorme repercussão da mobilização só foi possível com a participação dos incríveis voluntários que levaram a causa pra rua e de quem espalhou as ações nas redes.

Ajude a homenageá-los e a inspirar outras pessoas compartilhando essa história com os seus amigos.

Como tudo começou

A Rede Meu Rio entrou na pauta do saneamento em 2012 sonhando alto: queremos 100% de saneamento básico no Rio de Janeiro.

Para reunir uma comunidade de cariocas que apoiam a causa lançamos uma petição que recolheu mais de 11 mil assinaturas.

De lá pra cá outros milhares de cariocas participaram da mobilização nas redes e nas ruas. Após a entrega da petição, continuamos de olho!

Assista o vídeo de lançamento da mobilização para entender como tudo começou.

#SaneamentoÉBásico